Teorias do Poker

Textos selecionados e traduzidos para português para lhe ajudar a jogar seu A+.

  • CÓDIGO DE BONUS PT200 PARA BÔNUS DE 100% ATÉ $200

    OBS: Limpar os cookies antes de fazer o download $200 de Bônus no Everest Poker

#40 – Coisas Que Levei Um Tempo Para Aprender- Leitura de mãos em torneios

Posted by staedert em agosto 28, 2008

Things it took me a while to learn – Part 9:  Tournament Hand Reading

Escrito por Bond18, traduzido por Staedert

Continuando nossa comparação de torneios com cash games, jogadores de torneio tem um trabalho mais fácil em leitura. Isso porque os stacks menores em torneios (exceto no primeiro par de níveis) começa a restringir a quantidade de mãos que os jogadores podem jogar com lucro, e força uma enorme importância para a posição. Porém, é bem provável que jogadores de cash game vão melhorar em leitura de mãos bem mais rápido, simplesmente porque não tem tanto do trabalho feito para eles pela estrutura de torneio. Se você quer uma resposta fácil para como ficar bom em leitura de mãos após o flop, jogue uma tonelada de mãos de cash game 6max numa quantidade de mesas em que você possa parar pra pensar. Dito isso, vou tentar resumir o que posso a respeito de um assunto tão complexo.

Toda vez que eu ouço a frase “Bem, eu o coloquei em XX” tenho vontade de socar o cara na garganta. Essa única frase é mais desculpa para poker ruim do que qualquer outra. Muitos profissionais do jogo ao vivo (sim, eu sei, metade dessa série parece ser uma coleção de críticas a como os profissionais do jogo ao vivo pensam) parecem ter uma obsessão por dizer EXATAMENTE o que o oponente tem, então quando eles acertam eles colocam um sorriso na cara e anunciam “Ha! Foi nisso que eu coloquei você!” Tenho certeza que Daniel Negreanu gasta meia hora por dia na frente do espelho praticando expressões faciais variadas para maximizar sua eficiência quando esse momento de glória acontece.

Esta é uma frase para relembrar: Você não coloca seu oponente numa mão, coloca ele num faixa de mãos (range). Colocar um oponente numa certa mão não tem sentido. O processo pelo qual se faz leitura de mãos é começar por um range que seu oponente pode ter, então eliminar partes dela enquanto a mão prossegue e você recebe mais e mais informação. Também é importante nesse processo, é claro, ter uma idéia geral de como seu oponente joga. Se no online ele acabou de chegar a sua mesa, sua melhor opção é dar uma olhada nele no OPR. Se ele for novo numa mesa de torneio ao vivo, você precisa fazer algumas generalizações baseado em sua aparência.

Então como fazemos o processo de eliminar mãos do range do oponente? Você recebe mais informação do que imagina. Vamos começar com um exemplo extremamente óbvio:

Torneio freezeout de $50 em qualquer sala. Os blinds são 15/30 e todos ainda tem seu stack inicial de 3000. Os jogadores na mão parecem ser simples e objetivos.

Pré-flop: UTG dá raise para 90, UTG-1 dá reraise para 270.

Certo, agora assumindo que ambos os jogadores são bastante objetivos, isso é o que podemos deduzir:

UTG provavelmente tem um range como AJ+, ATs+, 77+ e KQs. Essa faixa não é precisa já que ele pode ter pares menores, ou não aumentaria com ATs aqui, mas é algo assim.

Quando o UTG-1 dá 3-bet, nós realmente podemos eliminar uma tonelada de mãos de seu range. Em geral um range amplo aqui seria algo como JJ+/AK, mas em muitos casos dar um range de QQ+ não é absurdo.

Então em apenas duas ações nós fomos capazes de isolar o range de um jogador até 3-5 mãos. Como eu disse antes, esse é um exemplo extremamente óbvio e simplista, mas demonstra como é possível obter uma leitura bastante precisa com muito pouca ação.

A maioria da leitura pré-flop em torneios se reduz a assistir as tendências de raise das pessoas, observando se eles entendem tamanhos de stack e posição. Aqui uma explicação de como são relevantes:

Tamanhos de stack: alguns jogadores sabem ou sentem que com 13-20 BBs, eles não devem abrir em muitas situações em que não possam encarar um 3-bet. Porém, jogadores que ignoram isso vão portanto ter um range muito mais amplo com esses stacks. Também alguns jogadores vão pagar nos blinds com stacks que são para all-in ou fold, sem saber que é incorreto. Você também precisa identificar quais jogadores dão apenas call com monstros, quando estão com stack pequeno.

Outro entendimento de tamanho de stack que é crucial observar são os de resteal, muitos jogadores vão tentar resteal com um stack que é muito inapropriado para fazer isso, e de vez em quando você vai ter que voltar neles com mais mãos. Certa vez um jogador estava constantemente tentando dar reraise em mim apesar dos nossos stacks efetivos serem 28-30 BBs, e como resultado eu voltei nele com 28BBs e QJo após ele dar 3-bet de 8.5 BBs, e ele largou. Acontecem situações como essa em que observar o entendimento de um conceito torna uma jogada que era incrivelmente ruim (o que 4-bet com 28BBs e QJo é 99% do tempo) em algo que pode ser lucrativo.

Posição: A situação pré-flop quanto à posição que mais expande o range das pessoas é o jogo nos blinds. Muitos jogadores pagam mais frequentemente do que deveriam (especialmente no BB, é claro) por causa do desconto. Poucos consideram que isso vai forçá-los a jogar fora de posição pelo resto da mão. Já escrevi sobre como o range de jogadores normais deve ser a partir dos blinds, preste atenção a quem paga muito mais, e também a quem joga muito tight nos blinds. Outra coisa a se observar são os que pagam reraises fora de posição muito mais que o normal. Muitos bons jogadores no meio para fim do torneio basicamente nunca pagam seu reraise fora de posição sem um monstro, a não ser que os stacks estejam bem grandes.

Certo, vamos a mais alguns exemplos de leitura. Primeiro quero começar com um exemplo do que acontece quando você realmente conhece o jogo de alguém. Eu gasto 4-8 horas por dia no Skype com Luckychewy discutindo torneios e mãos de poker. Agora eu posso seguir a lógica por trás das suas jogadas com enorme precisão. Por exemplo, eu estava assistindo ele na fase final do torneio de $300 do Stars esta noite e acompanhei a seguinte mão

Poker Stars
No Limit Holdem Tournament
Blinds: t2000/t4000
(Ante: t200)
7 players

Stack sizes:
UTG: t57888
UTG+1: t60291
MP1: t148859
Hero: t140802
Button: t218154
SB: t65545
BB: t66932

Pre-flop: (7 players) Hero is CO with Qd Qs
3 folds, Hero raises to t10000, 2 folds, BB calls t6000 (pot was t17400).

Flop: 8s Ah 4d (t23400, 2 players)
BB checks, Hero checks.

Turn: Kh (t23400, 2 players)
BB checks, Hero checks.

River: 7c (t23400, 2 players)
BB bets t8000, Hero folds.
Uncalled bets: t8000 returned to BB.

Após assistir essa mão eu imediatamente mandei uma mensagem para o Chewy dizendo “QQ?”
“Sim” ele respondeu. “QQ.” Agora, porque isso parece tão claro para mim? Porque eu entendo o raciocínio do Chewy. Vamos rodada por rodada.

Pré-flop: Obviamente eu sei que Chewy pode ter um range bem amplo aqui, apesar que considerando os stacks do SB e do BB, eu sinto que ele deve ter um range bem mais tight que o normal esperando tomar all-in com mais freqüência.

Flop: Eu espero que Chewy aposte um grande bordo para c-bet como esse com 100% de seu range que não tem valor para o showdown. Não é totalmente ilógico pensar que Chewy iria dar check com um A aqui, já que o bordo é rainbow sem qualquer draw relevante para seqüência. Também espero que ele dê check com mãos como KK/QQ e algumas vezes JJ, mas sei que ele frequentemente apostaria TT e menores porque o turn pode arruinar sua mão, e é bastante fácil de jogar com uma aposta.

Turn: Quando bate o K isso significa que KK é muito mais improvável. Quando o jogador pede mesa novamente, eu espero que Chewy sempre aposte com um A, já que ele tem que começar a colher valor e o BB frequentemente vai ter um K, o que significa que ele vai pagar pelo menos uma vez. Também coloca um flush draw no bordo, ainda mais razão para apostar. Quando Chewy pede mesa novamente, é nesse ponto que sei com certeza que ele deve ter uma mão como QQ, já que apostar aqui seria basicamente um blefe e sua mão ainda tem bastante valor para o showdown. Também sei que ele sabe que com essa linha, ele provavelmente não pode fazer largarem um K ao apostar apenas uma rodada, já que o vilão espera que Chewy aposte no flop com um A.

River. Quando o cara apostou 8000, Chewy pensou e largou. Ele percebe que há muito poucas mãos no range do vilão que ele vence e se o vilão vai blefar, a aposta geralmente vem no turn. Ele também percebe que apostar 1/3 do pot quase sempre é por valor e bloqueio.

Agora vamos ver uma mão mais complicada. Aqui está um post recente do Psyduck sobre uma mão que ele jogou no Evento Principal de 10k no Foxwoods:

Stacks efetivos de 20k, blinds de 100/200. Vilão abre para 600 exatamente em MP numa mesa de 9 jogadores, chega em fold e pago no BB com 7 5. Paguei por várias razões, mas vamos focar no pós-flop:

Flop Q 7 6 rainbow (pot 1300). Check, ele aposta 600 na hora, eu pago rapidamente.

Turn 7 do outro naipe (pot 2500), eu abro 1200, ele aumenta para 2800 rapidamente, eu pago.

River 9 (pot 8100). Conto meu stack e vejo que tenho cerca de 15500 restantes. Abro 5200. Ele pede que eu tire minhas mãos da frente para que ele possa ver meu stack. Eu faço isso e ele vê que eu tenho praticamente 10k restantes, e aposta todas suas fichas de 5k e 1k colocando-me all-in após cerca de 1 minuto.

Vamos falar sobre a leitura que precisa acontecer nessa mão. Informações importantes para começar são que o vilão frequentemente dá c-bet, e que não aposta bem por valor. Isso significa que ele tem algumas tendências passivas e prefere chegar ao showdown, provavelmente significa que é menos provável ele fazer grandes blefes. Pré-flop o Psyduck teve suas razões para pagar, o que não é de jeito nenhum padrão mas é irrelevante aqui.

Flop: No flop, Psyduck sabe que, já que o vilão vai apostar quase 100% de seu range, seu par está frequentemente na frente e seu call é apropriado. Essa parte me parece padrão, quando sabemos que obviamente há muitas mãos que não são pares no range dele.

Turn: Aqui é onde conhecer o jogador, suas tendências e leitura se torna realmente importante. Vamos começar analisando o range do vilão e ver como ele reage:

AK/AJ/AT e outras combinações de cartas altas/ar que não bateram: vão dar check e apenas colocar mais fichas no pot se baterem no river. Se elas baterem, frequentemente valerão apenas uma aposta, já que poucas dessas mãos vão fazer algo forte o suficiente para dar raise em Psyduck esperando ser pago por mãos piores, se ele der check no turn e abrir no river.

Pares 22-55, 88-JJ: quase sempre vão dar check e tentar chegar ao showdown da forma mais barata possível. Graças a imagem agressiva do Psyduck certamente vão pagar em uma rodada, e talvez duas.

Q médias: da descrição desse jogador é possível que ele dê check com Q médias como QT/QJ e se Psyduck der check no river, apostar. Se Psyduck não apostar é provável que essas mãos lhe rendam valor em apenas uma rodada.

Q fortes e overpairs: Essas mãos vão quase sempre apostar o turn, e frequentemente o river se for uma carta segura, mas elas não podem encarar um check/raise. Há uma pequena possibilidade que dêem check para controlar o pot quando formou um par no bordo, mas em geral podemos esperar que apostem mas não paguem um check/raise.

Monstros como 66/QQ/A7: Com mãos como essas, se Psyduck der check/raise no turn ele se compromete com o pot e obviamente nunca vai dar fold. Psyduck sabe que se ele der check/raise no turn é muito provável que apenas essas mãos (exceto talvez AA/KK e quem sabe AQ) o paguem.

Em conseqüência de saber o que acontece contra várias mãos no range do vilão, Psyduck então prefere apostar. A despeito da principal razão da aposta ser por valor (já que ganha mais dinheiro a partir do range do vilão do que um check), quando o vilão dá raise Psyduck também ganha informação. Agora ele pode eliminar todos os pares 22-55/88-JJ, Qs médias, e overcards/ar (a não ser que o vilão esteja ficando SUPER criativo contra ele)

River: Quando bate o 9, ele não muda absolutamente nada. 99 não está mais no range do vilão. Psyduck sabe que o topo do range do vilão (os monstros) sempre apostam por valor, e a base (que nesse momento são Q fortes e overpairs) vão às vezes apostar por valor e às vezes dar check já que Psyduck pagou seu raise no turn após apostar num 7. Psyduck decide que ganha o mesmo da base do range do vilão se apostar, sem ter que decidir sobre uma parte bastante maior do seu stack, com o benefício adicional que se o vilão for all-in ele sabe que estará quase sempre atrás e dará fold. Ele aposta um pouco mais que metade do pot e 1/3 do seu stack, 5200, e dá fold pro all-in do vilão no river. Na minha opinião, boa mão e um bom exemplo de como um jogador pensante usou seu entendimento de ranges para sua vantagem após o flop, maximizando tanto valor e informação (por favor não me mate, Gobbo.)

Para meu último exemplo eu gostaria de citar um artigo escrito por Nath. Eu acho que seu artigo é um excelente exemplo de como usar leitura de mãos para tomar ações que em circunstâncias normais seriam ridículas (se você está lendo isso no Tworags, essa parte já está no blog do Nath então não deixe de ver):
Do Sunday Million de ontem no PokerStars. Vilão é desconhecido:

PokerStars No-Limit Hold’em Tourney, Big Blind is t600 (9 handed) Hand History Converter Tool from FlopTurnRiver.com (Format: 2+2 Forums)

SB (t31052)
BB (t35813)
UTG (t29700)
UTG+1 (t19400)
MP1 (t28360)
Hero (t27246)
MP3 (t12775)
CO (t7727)
Button (t11100)

Preflop: Hero is MP2 with 9 , 9 .
UTG raises to t1200, 2 folds, Hero calls t1200, 4 folds, BB calls t600.

Flop: (t3900) 5 , 4 , 2 (3 players)
BB checks, UTG bets t3600, Hero calls t3600, BB folds.

Turn: (t11100) 2 (2 players)
UTG bets t4800, Hero calls t4800.

River: (t20700) A (2 players)
UTG checks, Hero bets t17646 (All-In), UTG folds.

OK… agora você provavelmente está pensando porque eu tomei uma linha que parece realmente estranha e determinada a colocar o máximo de grana no pot quanto possível enquanto perdendo. E vou lhe mostrar porque isso funciona aqui. Vamos ver rodada por rodada.

Preflop: Hero is MP2 with 9 , 9 .
UTG raises to t1200, 2 folds, Hero calls t1200, 4 folds, BB calls t600.

Essa é rodada mais objetiva em toda a mão. Um raise mínimo indica tudo e nada: principalmente, me diz que o oponente deve ser um palhaço. Porém, não ajuda muito em definir sua mão. Alguns jogadores adoram dar raise mínimo com suas grandes mãos para tentar induzir ação contra eles. Alguns gostam de dar raise mínimo com mãos com que eles querem ver um flop barato, esperando que o raise mínimo desencoraje um reraise. No que importa, eu acho que ambos são terríveis, e se você faz um ou outro freqüentemente você tem uma falha enorme no seu jogo. Eu tento mixar meus tamanhos de raise para tornar difícil ler minha mão.

De qualquer forma, dito tudo isso, preferi apenas pagar com 99 porque não tenho idéia do que meu oponente tem; se eu dou reraise e ele larga, eu venço um pot relativamente pequeno, mas se ele dá 4-bet, eu tenho que largar, e perdi uma chance de ganhar um pot grande. Então decido pagar e agir após o flop. O BB acompanha porque ele está recebendo 5,5:1 e fechando a ação, não necessariamente porque tem alguma coisa.

Flop: (t3900) 5 , 4 , 2 (3 players)
BB checks, UTG bets t3600, Hero calls t3600, BB folds.

Aqui começa a ficar interessante. Fazer uma aposta do tamanho do pot aqui muitas vezes indica um overpair. Esse é o ponto: eu ainda venço alguns dos overpairs. Além disso, algumas pessoas entram em pânico com AK/AQ quando eles não batem e começam a apostar alto na esperança de assustar um oponente. Nesse bordo, AK/AQ tem 4 outs extras contra pares menores. Esse valor incrementado torna apostar e se atolar aqui com AK uma jogada não tão ruim.

Também é a grande razão pela qual eu não vou atacar o pot agora. Algumas pessoas vêem “overpair” e pensam “eu tenho que proteger minha mão”. Depois de ver ele fazer uma grande aposta, eu sei que meu oponente gosta da sua mão, mas eu não sei exatamente o que ele tem. É muito provável que eu esteja na frente para dar fold aqui, mas ele também tem um overpair muitas vezes para tornar um raise e se atolar algo lucrativo. Eu sinto que se me atolar, será 60-40 a meu favor ou 90-10 contra. Não me importo em entrar como 60-40 favorito, especialmente num torneio como o Million, onde acho que o número de jogadores detemrina um estilo de jogo mais rápido, uma abortagem mais “corrida para a linha de chegada – mas acabo precisando dos dois noves com freqüencia demais para querer ir all-in agora. Então eu pago e decido reavaliar baseado no turn. O BB dá fold, e de qualquer forma eu nunca o considerei muito importante na mão.

Turn: (t11100) 2 (2 players)
UTG bets t4800, Hero calls t4800.

O dois não muda nada. Nenhum de nós tem um dois e ambos sabemos disso. Agora, a aposta dele no turn é interessante – ele aposta pouco menos que 1/2 do pot, o que parece fraco, mas também prepara para uma all-in do tamanho do pot no river se eu pagar. (Aliás, se você não está pensando em manipular o pot e tamanhos de stack dessa forma quando você escolhe o tamanho de suas apostas, você está cometendo um erro). De minha parte, o preço é bom demais para largar um overpair – mas ainda, minha mão não é boa o suficiente para dar raise. Eu suspeito que algumas vezes ele tem um overpair maior que o meu, algumas vezes ele ainda tem AK/AQ (o tamanho do bet é na verdade um efetivo para bloquear um draw e ver se ele bate), e raramente, ele tem um overpair menor que o meu. Então considerando uma grande parte do seu range como TT-KK e a outra grande parte como AK/AQ*, eu pago novamente.

* – eu não incluo AA, não porque é impossível, mas porque é um caso especial. Ele tem o melhor dos dois mundos, e estou ferrado; o river é basicamente irrelevante porque ele vai all-in em todos. Também considerei 66-88 improváveis, embora não impossíveis.

River: (t20700) A (2 players)
UTG checks, Hero bets t17646 (All-In), UTG folds.

Wow. Essa é uma carta muito interessante. Todas as mãos com Ás se deram bem aqui, e todas mãos que eram overpair se tornaram lixo assustado. Essa é a beleza da posição – eu posso usar a ação dele para julgar o que ele tem. Como ele tem uma aposta do tamanho do pot para trás, ele teria que ir all-in por value se acertou um Ás (ou seu 33, ou se ele já tinha full, ou o que quer que estivesse vencendo).

Ele dá check.

Agora, a reação imediata de muitos jogadores seria dar check, pensando “Oh, ou ele já me vencia, ou esse Ás o acertou. E não vai pagar com uma mão pior, e nós temos um par, então vamos dar check e torcer para vencer o showdown.”

Eles estão errados.

Quando ele dá check, ele está completamente vulnerável. Ambos temos menos que o pot para trás (ele tem pouco mais que eu) e se temos qualquer coisa razoável, estamos comprometidos com o pot. A única razão para não apostar o resto da grana aqui é se pensamos, por algum motivo, que essa carta assustadora ajudou tanto o range dele que devemos desistir. Uma armadilha do vilão nesse ponto seria absurda, já que eu deveria pagar o all-in dele com qualquer coisa razoável, depois de chegar a esse ponto.

Então quando ele dá check, não é uma armadilha, é porque esse Ás mete medo nele e ele vai largar para um all-in.

E – isso é importante – precisamos perceber que isso elimina todas as mãos com Ás e 33/44/55 do seu range, e o torna quase completamente overpairs. Então o range dele consiste primariamente de mãos que vencem a nossa mas não podem pagar um all-in.

Sabendo disso, devemos fazer um blefe. O fato que ele não agiu já nos dá toda a razão do mundo para isso. Ele nos anunciou que está com medo do Ás, e espera que o deixemos mostrar sua mão no showdown. Então temos que desapontá-lo.

Um detalhe à parte é que os stacks são realmente excelentes para essa jogada. Ambos temos pouco menos que o pot (eu tenho 17.5k e ele tem 20k num pot de 20k). O que significa que um all-in pode ser interpretado como uma aposta de tamanho “normal”. (Ir all-in aqui com digamos, quatro vezes o pot, seria considerado “anormal”.) Por causa disso, faz o oponente suspeitar menos que estamos blefando; nós podemos simplesmente estar tentando colocar cada dólar possível na mão. Isso o coloca numa situação bastante terrível, já que de sua perspectiva podemos facilmente ter AK/AQ/33. Nós certamente não daríamos check com elas no river. Por isso é muito improvável que o vilão esteja na frente uma vez a cada três, então ele larga.

Agora, na mesa esse processo é muito mais rápido, e ocasionalmente guiado por intuição – você nem sempre tem tempo para pensar, em palavras, como uma jogada vai funcionar; você “sabe” isso. Enquanto é bom ter sólidas e lógicas razões para suas jogadas, é mais importante confiar na sua intuição – é uma parte de você, e também funciona de acordo com o que aprendeu. No calor do momento, está usando toda sua experiência, habilidade e trenamento para levá-lo à decisão correta. Se você a preparou para os momentos em que vai precisar dela, ela não vai lhe decepcionar. Trabalhe na lógica fora das mesas, e estude, revise e prepare sua teoria, para que seus instintos tenham o suporte que necessitam para indicar a decisão correta. Confie em si mesmo para aprender o jogo.

Eu diria que blefar all-in no river não entrou no meu raciocínio antes do river bater, e o vilão pensar um pouco e dar check. Então me ocorreu que ele não poderia pagar um all-in, então fiz isso – não importa realmente o que eu tinha, mas fui definitivamente levado pela fraqueza relativa da minha mão. (se eu tivesse, digamos, KK, eu poderia ter dado check – ou ido all-in por valor.)
Mas há outro ponto nessa mão – você deve ser capaz de adaptar seu processo de decisão toda vez que nova informação vem à tona. Mesmo se você tem um plano para a mão, algo pode mudar e voce terá que abandoná-lo, porque percebe que uma linha alternativa é mais lucrativa. Online, o ritmo é rápido, então você precisa ter o pensamento rápido. Ao vivo, você sempre tem uma oportunidade de pensar durante uma mão. Online, você tem limites de tempo muito mais curtos e também pode estar jogando várias mesas, então ser rápido é tão importante quanto ser sólido.

Recapitulando a lição de hoje:

a) Fique alerta da força da sua mão relativa ao range do oponente, não apenas ao bordo, ou por si só

b) Não fique com medo de transformar uma mão feita em blefe

c) Não tenha medo de mudar de idéia no meio da mão, enquanto você obtém informação

d) Pense mais rápido

e) Confie em si mesmo

Eu realmente acho que Nath cobriu isso muito bem e vou ficar por aqui. Como sempre, se há algo que você gostaria de saber ou tem dúvidas sobre, basta perguntar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: